segunda-feira, dezembro 01, 2008

Relógios ao entardecer.

Dancei até às quatro da tarde
Sobre os ponteiros do meu relógio.
Linda aventura.. Um café na padaria!

Fiz da timidez um estandarte,
Pra você ficou mais do que óbvio,
O seu sorrriso era tudo o que eu queria!

O arteiro relógio escondeu-se
Esperando vingança da nossa falta de atenção.
"Mais dois cafés, por favor!", e logo iremos.

E se por acaso alguém percebesse,
Estaríamos em apuros, não haveria explicação.
Sumir, depois de pedir a conta, é o que faremos.

E assim descobri as luzes da cidade,
Como talvez nunca as tenha observado.
E descobri o seu beijo, entre outras surpresas.

Nesta louca atividade,
Não percebemos que o relógio havia aprontado.
Triste sina dos amantes, hora de ir.. Com certeza!

Um comentário:

Andi disse...

E ae... kra, achei mto afude o blog, principalmente os poemas, curto mto ler, mas nao tenho criatividade para escrever, tampouco desenvolver versos. Achei teu blog fuçando pela web, encontrei algo no orkut do Sartori.. era isso... grnde abraço e sucesso

andi (diombo)