terça-feira, setembro 14, 2010

Serenidade..

Algumas coisas que não foram, alguns desejos que não se realizaram.. Enfim, volto a este ponto mais uma vez. E como é bom, e como é difícil não poder prever o futuro. Tenho sede, tenho fome, tenho ganas de loucura! Seguir a breve intuição, seguir o destino sombrio dos que atentam contra sua dignidade... Muitas perguntas, nenhuma razão.
Sacudir o excesso de poeira, esvaziar gavetas, organizar as meias.. Nada pra depois! Tudo pode ser agora mesmo! Novo, poético, sintético e verdadeiro. O singelo fechar de olhos, o astuto silêncio e a honra de ter coragem infinita. Viver sim... É sempre aprender! Negar-se é rasgar o passaporte, voltar ao passado negro. E se alguém insano me abordar com baboseiras, exijo que se retire!
Meus dedos na louca dança destas teclas têm muito a descobrir.. Desejo o mundo ao mundo que ama com sinceridade, desejo a paz a quem se engana por teimosia. A liberdade te abre o universo, e quem não comprou essa idéia, não sabe a que veio. Doce saber que agrega cultura, e também alegria e tamanho extra à nossa alma. Sábios os que tateiam com humildade.. Deles será a riqueza secreta!

3 comentários:

antonioanderson disse...

Muito interessante este texto. "Muitas perguntas, nenhuma razão". A grande inconstância e as incertezas do ser humano sempre de contra à tecnologia e à modernidade.

É você mesmo quem escreve?

Até mais. Se puder, visite-me:
avozdeantonioanderson.blogspot.com

kamala Santos disse...

adorei aki ♥
bjos passa no meu e me seggui
bjosssss

José María Souza Costa disse...

Muito bom texto Belissomo, estou lhe convidando a visitar o meu blog, e se possivel seguirmos juntos por eles Estaremos gratos lhe aguardando aqui
http://josemariacostaescreveu.blogspot.com