sábado, agosto 29, 2009

A cegueira como parte de nossas vidas..


Não me admira que existam caminhos assim neste mundo.. Questionei várias vezes, nesta breve existência, sobre o caráter efetivo de minha sanidade. Em meio a tantos maus exemplos de atitude e sentimento, me sufoca a inconstância temperamental do ser humano.


E assim nasceram as "passagens de cegos". Recantos e avenidas deste planeta, recheadas de indivíduos individualistas, se me permitem a aliteração. Não sabem nem ao certo quem são, nem o que fazem. Recentemente, me surpreendi ao ser elogiado por discorrer sobre a timidez transmutada em falta de educação.


Tolos admiram a sensatez, a cordialidade e a presença de espírito. Talvez por fazer analogia ao sonho inatingível, aquele que povoa os ideais de felicidade mas encerra a trajetória em rastros de frustração e tristeza. Existe nisso uma simples relação inversa de prioridade: Agradar primeiro aos olhos, depois ao coração.


Bom.. De qualquer forma, todos sabem o que deve ser feito. Independentemente de suas deficiências visuais (e neste padrão, incluimos as abstratas), existe a obrigação moral de fazer mais por si mesmo (e pelos outros também). Nada de ficar esperando milagres ou espetáculo, viver sempre e intensamente exige trabalho árduo.. O cinzel já está em punho!

Um comentário:

Lohan disse...

muito bom o texto. estou te seguindo

visitem ae http://blogmultitematico.blogspot.com/